sábado, julho 28, 2007

Poesia - Flagelo as veias

As máximas mínimas
de toda quimera
que se faz valor forte
entre o que se deixa levar
pela intelectual sorte.

O senso, o discernimento,
onde encontram-se
na distancia em condições
diminuidas a com o do bom-senso contradição,
o mundo queda,
a humanidade segue em tal panorama de flagelo
de idéias, ademais que sequer circulam realmente nas veias.

2 comentários:

Dinha disse...

carência de idéias, carência de efetivação de idéias...

que decepção, não é?

João Domínio disse...

A contradição.